Casos de Estudo

O SOIL4EVER decorre em 10 campos experimentais, localizados no Perímetro de Rega do Roxo, onde se acompanha a evolução da salinidade do solo em função das práticas de rega.

Local 1 Cultura: Amendoal Solo: Sr* Coordenadas: 37.938666 N -8.152484 W

Local 2 Cultura: Amendoal Solo: Sr* Coordenadas: 37.940746 N -8.153642 W

Local 3 Cultura: Olival intensivo (variedade Arbequina) Solo: Sr Coordenadas: 37.940704 N -8.141915 W

Local 4 Cultura: Olival intensivo (variedade Cobrançosa) Solo: Sr Coordenadas: 37.951170 N -8.153772 W

Local 5 Cultura: Olival intensivo (variedade Picoal) Solo: Vc Coordenadas: 37.954026 N -8.139753 W

Local 6 Cultura: Citrinos-Laranjas Solo: Pag Coordenadas: 37.970000 N -8.180833 W

Local 7 Cultura: Citrinos-Tangerinas Solo: Pag Coordenadas: 37.969722 N -8.175833 W

Local 8 Cultura: Citrinos-Tangerinas Solo: Pag Coordenadas: 37.967500 N -8.180833 W

Local 9 Cultura: Romã Solo: Ps Coordenadas: 37.967500 N -8.180833 W

Local 10 Cultura: Olival super-intensivo Solo: Cpv Coordenadas: 37.929700 N -8.177080 W

MONITORIZAÇÕES

Em todos os locais as monitorizações do solo são feitas no fim do ciclo de rega (para avaliar o efeito da qualidade da água de rega) e no fim do período das chuvas (para avaliar o efeito da lavagem dos sais por causas naturais).

Os locais 5 e 9 foram seleccionados para uma monitorização mensal do solo e para o estudo mais detalhado do efeito da qualidade de água de rega no desenvolvimento de indicadores fisiológicos e na sua relação com a produção.

Efetuaram-se 8 campanhas de monitorização em 2019.

A primeira, foi realizada em Maio, abrangeu todos os locais e destinou-se a avaliar as condições iniciais do solo.

Todos os locais foram ainda monitorizados em Outubro para avaliar o efeito da qualidade da água de rega.

As restantes campanhas de monitorização do solo e das culturas incidiram nos exclusivamente nos Locais 5 e 9, como já foi referido.

Em todas as campanhas colheram-se amostras de solo a diferentes profundidades, que têm vindo a ser analisadas no laboratório, pela equipa do INIAV-Solos, no que respeita a: composição granulométrica, pH, condutividade eléctrica do extracto de saturação do solo (ECe), catiões solúveis e de troca (Na+, Ca2+, Mg2+ e K+), capacidade de troca catiónica (CTC), percentagem de sódio de troca (ESP), razão de adsorção de sódio (SAR) e teor de nitratos (N-NO3).

Os métodos geofísicos de indução electromagnética começaram a ser aplicados a alguns dos locais, pela equipa do IDL, UÉvora e INIAV-Solos. Esta metodologia permite determinar a condutividade eléctrica aparente do solo (ECa), que representa uma média ponderada da condutividade elétrica num volume de solo, de grandes áreas de forma rápida e eficaz. Os dados obtidos da ECa são depois tratados por modelação inversa, dando origem a imagens de condutividade eletromagnética (EMCIs), que fornecem uma distribuição específica vertical da condutividade elétrica aparente do solo (σ). Os valores de EMCIs serão depois correlacionados com a ECe (método clássico medido em laboratório e principal indicador da salinidade do solo) de modo a obter mapas da salinidade do solo.